Ônibus: desembarque flexível de madrugada

A Assembleia Legislativa (Alepe) aprovou ontem, em segunda discussão, o projeto de lei (PL) 708/2016, que determina maior flexibilidade aos locais de embarque e desembarque de passageiros de ônibus na Região Metropolitana do Recife (RMR). A ideia é permitir que, das 22h às 5h, usuários desçam dos veículos onde se sentirem mais seguros, como numa área mais iluminada ou com maior concentração de pessoas. A norma beneficia seis mil pessoas que utilizam 48 linhas bacuraus, além de passageiros das primeiras e últimas viagens de linhas regulares. É um mecanismo a mais para tentar se proteger dos assaltos, que, nos coletivos, já ultrapassaram mil casos neste ano, segundo o Sindicato dosRodoviários. As normas têm critérios conforme a região. No Centro expandido, fica suspensa a seletividade das paradas. Um exemplo é a avenida Conde da Boa Vista, onde cada linha só atende pontos específicos.

No horário definido pelo PL, os ônibus passariam a atender qualquer uma das paradas, seja para embarque ou desembarque. Já no subúrbio, fica autorizado o desembarque até mesmo fora de pontos de ônibus, desde que não interfira no itinerário. OPL é de autoria da deputada Simone Santana e era voltado só a mulheres. Após um substitutivo, foi proposto para beneficiar todos os passageiros. Segundo o Grande Recife Consórcio de Transporte, uma medida semelhante já existe desde 2004, como portaria da antiga EMTU/Recife. O problema é que nem todo mundo sabe disso. Não à toa, o órgão avalia a possibilidade de melhorar a comunicação sobre o tema dentro dos ônibus.

A diferença é que, agora, a regra terá força de lei, se sancionada pelo governador Paulo Câmara. “São clientes bem especiais, que saem tarde do trabalho ou da faculdade, e que já contam com essa possibilidade. E, claro, é inerente ao operador ter consciência e cumprir”, diz a gerente de fiscalização do GRCT, Kátia Sena. Caso o motorista se recuse a parar no ponto solicitado, o usuário deve ligar para 0800.081.0158 e informar o número de ordem do veículo, a linha, o horário e o local. O PL estabelece as mesmas regras para o transporte intermunicipal, que deixa de ter paradas seletivas, no Centro expandido, das 22h às 5h. Mas a direção da Empresa Pernambucana de Transporte Intermunicipal (EPTI) acredita que as interferências serão menores em relação ao transporte metropolitano, que tem seis mil paradas na RMR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *